Rima Criminosa - Nem Por Mágica - Clickletras.com.br


Letra Nem Por Mágica

Mais um boy rasgado de bala outro enterro
Corrupção mala cheia de dinheiro na cpi dos correios
Nessa bosta sem escola sem almoço no forno
Pro meu seqüestro relâmpago se pá cola a rede globo
Vai vim faze reportagem plantão exclusivo
Pro meu latrocínio esquartejar seu filho
Pra quem vive de migalhas o cano é alternativa
Pra metralha seu Audi tiro na sua barriga
Abri a cabeça do boy em troca de pó
Granada de mão carabina na mão do menor
Que entende certinho o que o sistema quer
Atirar na vadia burguesa de chofer
É menos horrível meu filho no farol vendendo chiclete
E seus pedaços no chão não rastreado pelo satélite
As leis os artigos nada foram cumpridos
Agora me da a recompensa senão mato seu filho
Pros políticos que quer me ver morto no IML
Pra poder ver sossegado o programa da Hebe
Vão ver que sua cartilha fez teu parente morto no mato
O cão adestrado pelo Brasil ódio do diabo
Filha da puta o grande crime não é punido
Lalau tem Ferrari e o pivete continua faminto
Enquanto o povo ta na miséria sem educação
Mais um deputado fica rico com o pagamento do mensalão
Não existe alegria pra quem não tem nada na panela
Só abri o sorriso quando limpo seu carro com a flanela
A taxa de imortalidade aumenta continua a guerra civil
Pais da fome impunidade hipocrisia chamado Brasil

Tem sangue no arco-íris embaixo da chuva de bala
Ordem e progresso nem por mágica
Tem sangue no arco-íris embaixo da chuva de bala
Pow Pow não é conto de fada


A chacina na casa de detenção mortos 111 detentos
Esse número é fictício foram cerca de 250 a 300
Ocorre a omissão da verdade em todos lados do governo
Quer ver você no presídio morto pelos outros presos
Que quer me ver metralhado no chão do Itaú
Conforto luxo pro arrombado do boy de olho azul
Pra viver morrendo de fome sem comida no armário
Ou colocando a flanela em retrovisor de carro
Enquanto o pivete ta equilibrando a bolinha de tênis
Seu pai e sua mãe ta sendo humilhado pelo porco do PM
A policia mata sem dó mais um favelado honesto morto
Enquanto eles prendem o inocente o Maluf continua solto
Infelizmente pra eu comer é uma rachada na suas costas
Eu considero a constituição como se fosse bosta
Por que as leis e os artigos nunca são cumpridos?
Por que não tem educação pro moleque faminto?
Eu não queria assalto morte e violência
Nem atira no seu peito para a minha sobrevivência
Eu não queria o pivete com a PT no seu vidro
Eu não queria o ladrão descarregando o 38 no seu filho
Mas é o Brasil que distribui fuzil e crack
É o Brasil que promove a guerra dando pro menino o conhaque
E o deputado pede paz falso moralista
Deu o crack pra favela agora agüenta seu filho na maca do legista
Eu não queria mais ouvir o barulho de metralhadora
Nem o menor que pelo toca CD estraçalho sua boca
O moleque sem infância invadiu seu condomínio
Cometeu latrocínio provocou mais um homicídio
Eu só queria pra favela e pra periferia a paz
Não o bandido abrindo seu crânio por 10 reais

Tem sangue no arco-íris embaixo da chuva de bala
Ordem e progresso nem por mágica
Tem sangue no arco-íris embaixo da chuva de bala
Pow Pow não é conto de fada.