Raça do Sul - Fandango Macanudo - Clickletras.com.br


Letra Fandango Macanudo

Quando me bate a saudade
o meu sossego termina
encilho meu zanho negro
saio assobiando na crina
saudade extra que sinto
do fandango macanudo
onde a indiada se encontram
alegres falam de tudo

No embalo da vanera
entre xote e vanerão
numa valsita faceira
a prenda de "mira ao peão"
com olharem atraentes
daqueles que dizem tudo
assim se forma o namoro
no fandango macanudo

eu solito e pensativo
oitava do num balcão
olhei prum canto da sala
ja de segunda intenção
uma prenda mui lindaça
me olhava com emoção
como quem mata a saudade
e roba um coração

No embalo da vanera
entre xote e vanerão
numa valsita faceira
a prenda de "mira ao peão"
com olharem atraentes
daqueles que dizem tudo
assim se forma o namoro
no fandango macanudo

Eu não pensei duas vezes
e me cheguei de mansinho
pois senti que a prenda linda
precisava de um carinho
convidei-a pra bailar
de um jeito bem educado
e pensei comigo mesmo
vou sair daqui casado

No embalo da vanera
entre xote e vanerão
numa valsita faceira
a prenda de "mira ao peão"
com olharem atraentes
daqueles que dizem tudo
assim se forma o namoro
no fandango macanudo

Quando voltei para o rancho
alegre bem satisfeito
meu zanho trocava orelha
pra checar no parapeito
senti que minha saudade
amenizou um bocado
pois a prenda que queria
me deixou apaixonado

No embalo da vanera
entre xote e vanerão
numa valsita faceira
a prenda de "mira ao peão"
com olharem atraentes
daqueles que dizem tudo
assim se forma o namoro
no fandango macanudo