Matielli Drunk - Século Desgraça - Clickletras.com.br


Letra Século Desgraça

Eu nem sei se tem mais graça ir na rua
Tá tudo tão foda, esquinas estão duras
Coisas a serem ditas, verdade nua e crua
To com um parafuso a menos e ninguém me regula
É foda saber os riscos
A rua é como o mar cheio de tubarões famintos
Então bebo meu vinho tinto, faço minhas ironias
É foda ver de perto crianças cheirando cocaína

Os brinquedos são armas, armas são brinquedos
Sonhos morreram, vivem o pesadelo
Isso já não é mais segredo e todo mundo nota
Esqueceram revolução pra se importar com copa
Garrafas pet's, embalagem da coca-cola
Ciclo vicioso, planta amarga, compra e troca
Mastigando a derrota, a engula a seco
Eu quero a digna vitória, já sei até o preço

Tão sintético, tão superficial, esse é o mundo
Se tornou uma droga, pronta pra consumo
Muita gente pensa, ou pensa que pensa
O problema é que se pensa, pouca gente faz

Lençóis de cetim, transe, psicose, matriz
Válvula de escape do mundo infeliz
Putas inesquecíveis, todos tão domésticos
Sentimentos maquiados e escondidos por cosméticos
Frase de guerra, eterno combatente
Essa aqui parece uma "Toda forma de amor" diferente
Mais pra frente, mais agressivo
Sou uma bomba atômica, totalmente nocivo

Pensamentos me destroem, me corroem
Pessoas brincam com meu cérebro e o moem
As pessoas andam mais burras e seus celulares inteligentes
Smartphones, IPhones, alienam essa gente
A realidade é dura, se acostumaram à mentiras
Leem meus gestos transpirando sarcasmo e ironia
A cada ano que passa, to mais distante de vocês
Essa doença é contagiante, não quero morrer de vez

Tão sintético, tão superficial, esse é o mundo
Se tornou uma droga, pronta pra consumo
Muita gente pensa, ou pensa que pensa
O problema é que se pensa, pouca gente faz