Matielli Drunk - Poetas - Clickletras.com.br


Letra Poetas

Não há como ensinar poesia
Não há regra pra expressar essa euforia
Metafórica, direta ou indireta
A alma do poeta é herege e tão inquieta
Meus olhos registram oque se passa
Escrevo em meio a toda essa fumaça
Conto meus contos de sucessos e desgraça
Que tanto me agrada e a alguns desagrada

Pulei algumas páginas do livro que escrevi
Fui pra parte que intensifiquei oque vivi
E disse, não, talvez tenha pensado
Se nascemos pra morrer, a vida tem que significado?
Ando meio confuso
E nessa confusão confundi todo mundo
Porque encontrei minha sinfonia mágica
E transformei meu trampo em música clássica

Tento me encontrar em poesias
Mas me desencontro ao ler as minhas linhas
Enquanto a literatura de bukowski me consome
Avisando que os solitários são grandes homens
E não descordo
A sina do poeta é a solidão, mas não a veja como rótulo
É tudo tão simbólico
O cigarro, os papeis e o uísque no qual me afogo

Poetas são tão iguais
No direito de serem diferentes
Mas jamais
Vão ser entendidos por toda essa gente

Sou o demônio das mentes fracas
O câncer pro falso moralismo dos babacas
Tão envolvido que não consegui sair daqui
5 Anos de música e uma vida inteira que escrevi
É tipo ter voltado de guerras incessantes
É fazer da vida seu amor e a poesia sua amante
Como se fosse "jogue do dado"
Se tentar, vá com tudo, senão, melhor nem ter tentado

Delírios confundem o falso do real
A poesia é assim, te leva daí
Vem viajar, te jogar em transe cerebral
Entrar em outro mundo, livre do mal
Sugue oque for bom, é tudo aprendizagem
A mente aventureira precisa de mais viagem
E a perverção faz parte do que escrevo
Escrever é um jogo e eu sou dono do tabuleiro

Às vezes oque me assombra é pesadelo constante
E os amenizo transformando em versos em um instante
Me entorpece, me torna risonho
Em meio a tanta nhacoma, "neguin" nem te conto
É mágico levar emoção em cada track
Ritmo e poesia, poesia vira meus rap
Traz liberdade pra cada mente fechada
Poetas são tão iguais, todos de mente solitária

Poetas são tão iguais
No direito de serem diferentes
Mas jamais
Vão ser entendidos por toda essa gente