Luiz Carlos Borges - Romance de Pena Larga - Clickletras.com.br

Letra Romance de Pena Larga

A uns diz que foi o noivo
A outros que o primo foi
Mas fosse o primo ou o noivo
Fosse o destino ou a vida
Pobre menina perdida
Já ninguém te salvará
Olhar pisado da noite
Mal amada e mal dormida
Pobre menina perdida
Tua infância onde andará?

Porque tão rosa, tão moça
Mocita, mas quem dirá?
No teu destino de china
Quem vai saber da menina
Que dentro de ti está?

- Vamos bailá vagabunda
Qualquer borracho te afronta
Mas desde que pague a conta
Pode ofender quanto queira
E vais bailando a vaneira
Conforme manda o compasso
Tanta leveza no passo
No coração quanto peso

Rancho comum de andarengos
A ninguém negas pousada
Sombra de beira de estrada
Onde o que chega sesteia
Cacimba de água toldada
Saciando até a fartura
Quem não pode em água pura
Saciar a sede que tinha
Mas a tua própria sede
Quem sabe? Quem adivinha?