Luiz Carlos Borges - Baile de corredor - Clickletras.com.br

Letra Baile de corredor

É sábado ensolarado, prenúncio de noite linda
E eu indeciso ainda, pensando no que fazer
Não tem muito p'ra escolher, quem mora no interior
E quando o cheiro de flor se aninha no coração
A única salvação é um baile de corredor Bis

A sorte anda por aí, eu não nasci p'ra ter azar
Já ouço um toque de violão e um vanerão solto no ar
Quem pensa muito não se casa e eu sou brasa de acender
Me dá licença que eu vou nessa onde começa o bem querer

Chego sem pressa no rancho onde o baile 'tá enfezado
E fico meio assustado com tanta moça bonita
Se eu soubesse acredita, tinha chegado mais cedo
Para entregar meu enredo "p'rum" simples cheiro de flor
E dar rédeas para o amor que há tempos guardo em segredo

Arrasto a espora no salão, em direção ao tocador
Que eu sou chegado e tenho fé, num chamamé sapateador
Grita o gaiteiro calma louco, espera um pouco e tu vai ver
Que o tempo corre mas vai dar p'ra começar meu bem querer
Buscando a loira de cacho, me agarro numa morena
E chega até me dar pena, do meu próprio coração
Porque será que a paixão, pelos bailes me acompanha

E quando me bate a manha de ver a flor de canela
Eu largo ao encontro dela nos bailes do meu rincão

E quando rompe o vai e vem, nem mesmo o trem pode atacar
E o baile é bom se a china tem, carinho e jeito p'ra dançar
Se o tempo é bom não reparei, não perguntei nem quero ver
Gaiteiro toca sem parar, que é p'ra firmar meu bem querer