Laurindo Rabelo - Leandro e Hero - Clickletras.com.br


Letra Leandro e Hero

O facho de Helesponto apaga o dia,
Sem que aos olhos de Hero o sono traga,
Que dentro de sua alma não se apaga
O fogo com que o facho se acendia.

Aflita o seu Leandro ao mar pedia,
Que abrandando por ela, a prece afaga,
E traz-lhe o morto amante numa vaga
(Talvez vaga de amor, inda que fria).

Ao vê-lo pasma, e clama num transporte -
"Leandro!... és morto?! ... Que destino infando
Te conduz aos meus braços desta sorte?!

Morreste!... mas... (e às ondas se arrojando,
Assim termina já sorvendo a morte)
"Hei de, mártir de amor, morrer te amando."