Karine Alexandrino - Balada de Perdicta - Clickletras.com.br

Letra Balada de Perdicta

Papai
Esta senhorita quer quer você a deseje
Fiel

O peso do seu corpo
Suas mãos sobre minha cabeça
São pra que me sinta aqui

Sou frágil assim
Mas não temo a morte
Pois faço pactos de esquecimentos
Meu passado é uma velha bruxa
E traz o charme irresistível da derrota

Papai
Ahan anrh arrhñññ...

Minha seda em volta desse pescoço
Você toca , é seu

Desafio o medo sobre a terra
Busco o amor fora dela
(manhãs quenres me sufocam, tarde fescar me acalmam)

A luz que falta nos homens
É a sombra dentro de mim
Minha febre só reclama
Un poco de amor
Ahan anrh arhnñññ