Halber Lopes e Jarbas Nadal - Um Taura de Antanho - Clickletras.com.br

Letra Um Taura de Antanho

Chapéu de ?paia? trançado com jerivá
E um chiripá tecido de lã de alpaca
Um bom tordilho de laçar touro em perau
E um balandrau tapando o cabo da faca

Um charque gordo forrando o dorso do basto
Canha pra o gasto pendurada numa guampa
Vão na garupa panela, trempe e cambona
E a lona de cotunina pra ?sombreá? onde se acampa

É um tebano do tempo da ?lei do borge?
É um ?são jorge? que restou dos ancestrais
É um torena pra atirar com boleadeira
É uma bandeira mastreada por ideais

É um índio taura criado em beira de mato
É um vaqueano conhecedor dos perigos
Nas suas faces as marcas brabas do tempo
Ao trote lento, com rudes gestos de amigo

É um ?biriva? mesclado com algum ?tapuia?
Tem com de cuia, melena farta trançada
A barba grande, branquicenta pelos anos
Cimbrando anseios pra sua alma cansada