Bizarra Locomotiva - Tráfico de Orgãos - Clickletras.com.br

Letra Tráfico de Orgãos

Apesar dos atrasos do correio
A febre chega num órgão satélite
Que se auto-rejeita num acto de fidelidade a um silo de vida
Raspada a pele
Apagam-se os últimos vestígios de um código de barras
Antes cognome de um ser
Agora enganado
É oferecido numa caixa a uma mansão de coágulos
Que se dissolve por um mês.